19 de julho de 2010

Festival do Japão

Complementando o post anterior, vamos mostrar algumas comidas encontradas no Festival do Japão. Como nos anos anteriores, acabamos indo no sábado e domingo para aproveitar a parte gastronômica e os shows além de encontrar velhos amigos.

Em nossa opinião o evento deste ano estava mais cheio do que no ano passado e no domingo à tarde as filas estavam enormes. Os apresentações de taiko foram muito boas assim como alguns cantores que se apresentaram no palco de shows.

Em relação a área gastronômica, nos últimos eventos o yakissoba e o tempurá tomaram conta de várias barracas que representam as províncias, talvez para agradar o público que não está acostumado com comidas diferentes e fazer o número de visitantes crescer. Mas neste ano conseguimos encontrar comidas mais típicas (e outras nem tanto...) para nossa alegria. Entre elas um prato que nunca havia comido e que está no fim deste post.

Eu e meus pais começamos comendo o prato preferido do festival, o Okonomiyake (R$ 12,00), que é uma espécie de panqueca japonesa. Os ingredientes variam de acordo com a região. Na barraca de Hiroshima ele leva macarrão na massa e não gostamos muito. O preferido é o da barraca de Wakayama, preparado com massa de panqueca, repolho, mini camarão seco, beni shoga (gengibre em conserva vermelho), alga picada (aonori), molho tonkatsu, maionese e katsuobushi (flocos de peixe seco). Leva ainda fatias de bacon sobre ele. 

Dedicamos este prato ao Alexandre do Lost in Japan, a Margarida do Banzai  e para a Andreia do Papiando que já postaram sobre okonomiyake e também gostam deste prato.


A combinação fica ótima e são bem caprichados. Arrisco a dizer que é uma das barracas que mais vendem no festival. As filas são enormes todos os anos. Mas vale a pena enfrentá-las.

Passamos para pegar um suco de maçã (R$ 5,00) na barraca de Aomori pois os sucos são totalmente naturais e sem nenhum conservante. Eles são trazidos de São Joaquim apenas para o Festival do Japão. Então só é possível beber uma vez por ano.


A Denise começou com um Udon da província de Nagasaki (R$ 12,00) que levava kamaboko, tamago yaki (omelete), e tempurá de camarão. Além da apresentação simples, o caldo estava fraco, agradando quem tem paladar suave.


Logo depois parti em busca de algo diferente e parei na barraca da província de Kumamoto e peguei o Karashi Renkon que são pedaços de raiz de lótus cozidos, recheados com mostarda, batata doce e missô, empanados e fritos. Os pedaços são vendidos por peso e um pequeno saiu por R$ 5,00.


A raiz de lótus não tem muito sabor em si, o que dá o gosto é o recheio. A mostarda que o recheia não é aquela usada em cachorro quente mas sim a japonesa que tem gosto parecido com o wasabi. O sabor é um pouco ardido e vai bem com uma caipirinha.

Meu pai foi até a barraca de Shiga para pegar algumas Guiozas (R$ 5,00). Elas são boas mas normais daquelas que encontramos nos mercados da Liberdade. O que agrada é o molho de shoyu, limão e gengibre para acompanhar.


Depois disso queria algo doce e fui em busca do Oshiruko (R$ 5,00) que é uma "sopa" de feijão doce com moti cozido nele. O feijão preto não é aquele utilizado na feijoada mas sim o azuki utilizado nos doces japoneses. Alguns podem torcer o nariz mas eu gosto bastante e como não é comum encontrar nos restaurantes acabo comendo apenas no festival. Encontrei na barraca de Niigata mas não gostei muito pois é daquele que vem com os grãos de azuki inteiros. Comi e fui atrás de outro. Encontrei na barraca de Saitama do jeito que gosto. Apenas o caldo espesso com o moti bem macio.


A Denise foi comprar sonho (R$ 2,50) na barraca Kibô no Iê (uma entidade beneficente) pois são feitos na hora e vem quentinhos. O creme é suave e doce no ponto certo. Quem conhece sempre compra ali e as filas também são enormes. Além disso o dinheiro arrecadado ajuda a casa que cuida de deficientes.


Para finalizar o almoço peguei um sorvete de chá verde (R$ 6,00) na barraca de Kyoto. Não sei porquê mas tinha pedaços de chocolate no meio parecendo um sorvete de flocos. Pelo menos o sabor do sorvete estava bom. Mas achei muito caro por uma minúscula bola de sorvete.


Após a degustação, aproveitamos para conferir outras atrações. O evento é bem diversificado, podendo agradar vários públicos e de todas as idades.

Passado algum tempo, resolvemos voltar às barraquinhas de comida. O próximo lugar escolhido foi a barraca de Hokkaido para comer a Yaki Ika (R$ 10,00), que são as lulas na brasa, perfeita para ser petiscada. Na hora que pedi eles avisaram que só haviam as perninhas da lula mas resolvi pegar assim mesmo já que a Denise gosta deste jeito. Para acompanhar peguei um oniguiri grelhado com molho de missô (R$ 3,50) na barraca de Fukushima.


Achamos que a porção de Yaki Ika estava um pouco seca. Sabemos que a lula preparada na forma grelhada tende a se tornar seca mas poderiam ter assado menos. O oniguiri estava muito bom, o gohan estava no ponto e o sabor do missô completou perfeitamente.

A Denise foi experimentar outro udon, desta vez de Iwate (R$ 12,00), que estava mais caprichado por conter mais ingredientes além do caldo estar com sabor mais pronunciado.


Minha mãe foi pegar um yakissoba na barraca de Tokyo (R$ 12,00) que apesar de ser o prato mais comum no festival estava bem saboroso. Haviam vários legumes além de carne, frango e camarão. O macarrão lembrava um pouco do China Massas Caseiras. O molho estava bem saboroso e a porção era muito bem servida. Acabei dividindo um com a Denise também.


Finalizamos com espetinho de shimeji com bacon de Gifu (R$ 4,00), que estava ótimo ao paladar e tostado na medida certa.


Levamos para casa o Ichigo Daifuku da barraca de Mie (R$ 8,00 com 3 unidades) que estava harmonioso com o morango para quebrar o doce do recheio de anko. A parte externa era bem fina, tornando o doce perfeito para fechar o dia.


Voltamos ao festival no dia seguinte (domingo), que estava visivelmente bem mais cheio que no dia anterior e notamos que havia muito mais filas em praticamente todas as barracas, sendo que em algumas a comida se esgotou no início da tarde. Meu pai havia visto uma caixa enfeitada na barraca de Kochi no sábado mas no final do dia já não havia mais. Quando chegamos no domingo cedo fomos logo para a barraca de Kochi checar se havia mais. Uma atendente jovem parecia estar no mundo da lua pois perguntamos qual era aquele prato indicado como Mushi de R$ 40,00 (isso mesmo, o mais caro do festival) e ela mostrou um peixe pequeno recheado que na verdade era o Sugatazushi. Além disso também não sabia que peixe era e nem qual era o recheio do Sugatazushi. Na verdade era uma pescada curtida no vinagre recheada com arroz de sushi (shari). É muito descaso estar na barraca de sua província e nem saber os pratos que estão vendendo.

O que nos salvou foi uma obasan que percebeu que estávamos perguntando bastante e foi explicar que a jovem atendente havia explicado tudo errado. O tal prato na caixa (foi pegar uma para nos mostrar) era um Tai no Mushi (R$ 40,00), um pargo recheado com okará que é a sobra da preparação do leite de soja e consequentemente o tofu. Apesar de ser chamado de sobra é muito nutritivo e tem o sabor parecido com aqueles tofus mais firmes. Misturado ao okará haviam cenoura bem ralada, camarão, shitake e gobô (bardana). Tudo isso recheando o pargo que é cozido no vapor.


Apesar de caro, o peixe é grande e bem recheado. O sabor do recheio é delicado e um pouco adocicado (coloquei um pouco de shoyu para salgar um pouco) e o do pargo é bem suave (adoro sushi de pargo). Este prato realmente surpreendeu e valeu muito a pena. Espero que ofereçam no próximo ano novamente.

Apesar do número de visitantes aumentar a cada ano, gostamos de ir no festival nos dois dias pois é uma ótima oportunidade para desfrutar não só das comidas mas das apresentações também.

16 comentários:

Felipe Nasca disse...

Eu acabei só podendo ir no sábado... deveria ter pensando melhor e ir no domingo!

Comi um tal de "Houtou Udon" que diziam ser o "udon dos samurais" (vergonhsamente, esqueci de quais províncias eram a maioria das coisas que comi). Tinha o gosto suave, e me surpreendi pois comi a primeira abóbora na vida que achei gostosa, pois não tinha aquele adocidado comum que eu acho enjoado. Ah, nunca mais como udon de hashi vestindo camiseta preta. Saí de lá parecendo o negativo de uma onça pintada!

O okonomiyaki de Wakayama deve ser bem melhor mesmo, pois me disseram que no domingo a fila estava quilométrica! E sobre os outros pratos do post... poxa, bem que eu queria ir acompanhado de alguém que entendesse mais. Passei batido por vários desses pratos, tanto pela timidez de perguntar quanto por achar que estaria "atrapalhando" o movimento (é, eu sei, meu jeito é estranho XD).

Também conheci um docinho chamado Mitarashi Dango que comprei na barraca de Gifu (lembrei, hehe) e me apaixonei. É um "doce" quase sem sabor de doce, mas muito delicioso, comi quentinho e... sei lá, parece uma massagem nas papilas gustativas, é o que eu chamo de "comida confortável", porque é essa a sensação que o sabor traz, uma espécie de "conforto".

Minha mãe foi no domingo e trouxe um outro doce, mas eu não sei o nome. Parecia uma pasta roxa doce (acho que era feita de feijão-azuki) recheada com arroz. E um outro igualzinho só que "empanado" com uma coisa que parecia a "pele" do inarizushi só que não era salgado. (desculpem as comparações toscas XD).

Adorei o post, aprendi muita coisa legal com ele!

Georgia disse...

Ah se eu morasse em São Paulo...
Fiquei aguando aqui com tanta comida boa ;)

Bjus!

Nilce disse...

Socorro né, Carlos.

Comeram por mim, mesmo. Obrigada. rsrs
Quanta delícia!
FELIZ DIA DO AMIGO aos dois.

Bjs no coração!

Nilce

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Ooooooooooooxxxxxxe!
Mas não é que o festival tava bom hein? tinha até pratos raros, como o renkon de Kumamoto. (eu só comi esse renkon lá mesmo!)

E antes de tudo obrigado pela lembrança sobre o okonomiyaki, eu adoro mesmo rs (eu tenho um paladar infantil/de pobre, não reparem, gosto muito dessas coisas simples).

Confesso que me assustei com os preços. O preço sim, podemos dizer que tinha sal demais...

Nossa, deu saudades da Kibo no Ie...eu era voluntário lá...

Maravilhoso post, pra variar vcs dão um show!
(desculpem ter apagado o comentário no post anterior, respondi errado rs).

andreia inoue disse...

olaaaa!!
antes de tudo,gostaria de agradecer por terem lembrado de mim,muito obrigada mesmo,amei a referencia,principalmente em se tratando desse prato deliciosoooo!
:D
e a festa foi maravilhosa mesmo ne?pelo que vi capricharam na quantidade de opcoes de comida,nao da nem para vcs sentirem falta daqui,hahaha...e o okonomiyake esta com uma cara otima!
o udon a gente compra muito no inverno,vende muito nas lojas de conveniencia e ate nos supermercados.
O karashi renkon ainda nao experimentei,vou anotar a dica.
Guiozas é tudo de bom,adoroo,e o shoyu sempre da um toque especial.
Antes eu torcia a cara para os doces de feijao,hahah...hj em dia como bastante,principalmente quando eles vem no recheio de um bolinho bem popular daqui,so nao arrisco o sorvete de azuki.
E esses sonhos o recheio sao do que?acredita que nunca vi vendendo por aqui?!fiquei com agua na boca so em ve-lo.
E so fugiria do sorvete,haha...nao gosto de sorvete de cha verde.Quando vi a foto pensei que fosse sorvete de wasabi,vcs ja experimentaram?sou fa de wasabi,por incrivel que pareca.
:D
E gosto demais desses Ichigo Daifuku,compro nos supermercados,nas festas ainda nao vi vendendo.
E para finalizar, concordo com o alexandre,os precos sao salgadinhos mesmo,sei que a festa eh anual,mais nao precisava superfaturar,haha!
um beijao e valeu por nos apresentar o que rolou por la.

Tabeteimasu disse...

Olá Felipe,
O Houtou Udon era de Yamanashi...a Denise já experimentou nos festivais passados mas não gostou muito. Ela prefere o de Iwate. Eu gosto da abóbora (kabocha) bem docinha...rsrs...mas a Denise não gosta muito..rs...
Pensa bem, camisa preta é melhor do que branca....rs....não aparece tanto...rs...como já estou acostumado com o festival, sempre vou com roupa escura...
O okonomiyake de Wakayama é ótimo. Da próxima você experimenta. O dango é bem gostoso, principalmente no frio já que vem morno...Talvez esse doce com o azuki por fora seja o botamochi. Quando a Denise foi atrás já tinha acabado...
Se quiser algumas dicas no próximo ano estaremos lá novamente...

Olá Geórgia,
Venha passear no festival do próximo ano! Vale a pena!

Olá Nilce,
Você também precisa vir passear em SP! Feliz Dia do Amigo!

Olá Alexandre,
As coisas simples são as mais gostosas. Tem coisa melhor do que aquela mistureba do okonomiyake?
Que legal que você era voluntário no Kibo no Iê...sempre comemos na barraca deles. Além de gostoso é uma forma de ajudá-los...
O preço dos pratos aumenta a cada ano...isso sim tinha sal demais...(fora o estacionamento a R$20 e a entrada a R$7)

Olá Andreia,
Quer dizer que você acostumou com o ankô? Eu sempre gostei...O sonho tinha recheio de creme e estava mais gostoso do que o das padarias daqui...
Gosto bastante do wasabi mas ainda não experimentei o sorvete. Aquele salgadinho de ervilha com wasabi é bom demais!
O ichigo daifuku é bem gostoso mas tem que ser fresquinho senão o morango começa a soltar água...

Abraço a todos,
Carlos

Rhariane disse...

Caramba, vocês comeram praticamente no Japão inteiro! E assistiram as maravilhosas apresentações de Taiko, que simplesmente hipnotizam.

Não pude ir, mas, pelo visto, o festival estava muito bom (tirando a muvuca). Ano que vem espero conseguir ir, finalmente. Todo ano não dá certo. :P

lolipop disse...

MEUS QUERIDOS AMIGOS:
Perdoem estar um pouco atrasada a comentar...OBRIGADA PELA LEMBRANÇA CARINHOSA!!
Adorei o post. Meu Deus, quanta coisa boa e muita diversidade e comidas raras. Fiquei impressionada também com a descrição das filas quilométricas. Infelizmente aqui, a comida Japonesa é práticamente desconhecida com a excepçãp do sushi, que virou moda e qualquer um é sushi-man...rsrs.
E os Portugueses são por norma mais avessos a comida estranha.
FELIZ DIA DO AMIGO PARA OS DOIS!
ADORO VCS!

YumiNaMesa disse...

Caraca! Quando vocês me disseram que comiam um monte no Festival, nunca imaginei que fosse tanto!!!
Ah, o okonomiyaki que eu comi foi o de Wakayama também. Nunca gostei do de Hiroshima... Comi com tanta fome que nem sabia que tinha camarãozinho seco na massa!
Minha mãe comprou o karashi renkon para "viagem". Nossa, nunca imaginei que fosse tão bom!!! Adoro karashi e o renkon estava entupido de karashi! Minha mãe comprou nozawa, uma folhagem bem gostosa. Acho que nunca tinha comido nozawa in natura... Só no furikakê...
O sonho do Kibo no Ie é o melhor que eu já provei. Sempre macio, cremoso, delicioso. Esse ano as volunárias estavam demorando muito para fritá-los, então nem fiquei para esperar.
Ah, e eu não acredito que vocês pegaram o Yaki-ika só com perninhas! Eu me lembro de um ano que a lula estava gorda, suculenta, maravilhosa! Nunca mais vi assim...
Fiquei curiosa com o tai (pargo). Sashimi de pargo é o meu favorito!
Bjs!

Bah disse...

Hmm como disse no blog eu não curto esses festivais, nem pra comer. Sei lá, fiquei exigente com comida japonesa. Até lamen não consigo comer o daqui... quer dizer, ainda não fui nos restaurantes da Liba pra comer, mas eu DUVIDO que tenha um okonomiyaki IGUAL da estação de Hiroshima. Aquele foi o melhor okonomiyaki que eu comi na vida, com udon, bem caprichado ai ai, só de lembrar, preciso rever a foto que eu tirei da chapa rs... Mas valeu a pena mostrar os pratos. MInha irmã e cunhado foram e touxeram o folheto-guia do festival, coisas interessantes mesmo, eles trouxeram um mochi de morango.... mto bom... sem azuki claro rs

Kisu!

Tabeteimasu disse...

Olá Margarida,
O festival é uma diversidade só em relação às comidas. Tem para todos os gostos. E vale a pena enfrentear as filas! Feliz Dia do Amigo para você também!

Olá Yumi,
No festival a gente exagera mesmo...rsrs...
O renkon não tem muito gosto mas com o karashi no recheio fica gostoso.
O sonho realmente é muito bom. Ainda não achei um parecido em nenhuma padaria...
A última lula gostosa (e gorda) que comemos, foi a alguns anos atrás....depois disso sempre vem aquelas mirradas. Desta vez só perninhas...rs...mas tinha que matar a vontade né...shoganai ne...
O pargo realmente estava bom. Acho que foi a primeira vez que levaram esse prato e creio que vão levar novamente no próximo pois vendeu tudo...

Olá Bah,
Realmente algumas comidas do Japão são insuperáveis mas como vai demorar para matar a saudade de lá, nos contentamos com as comidas encontradas aqui...rsrs...No geral as comidas do festival são caprichadas e valem a pena...

Bjo,
Carlos

Pepino disse...

P:
Cacilda quanta comida!
Esse ano não fomos no Festival, e sentimos falta do Okonomiyaki... acho que vamos tentar fazer um =P
Shimeji com Bacon tb é tudodebão!
Mas o mais chamou a atenção foi esse Pargo (tb adoro, estou na caça de um bom Taigohan), pô é o tipo de coisa que adoro! Fica pra próxima!
Abs

Kiyomi, a.k.a. Piggy disse...

.Nossa!!! Se eu e namorido estivéssemos no Brasil, certamente estariam os dois batendo ponto nas barracas pra degustar cada provincia... A de Kochi, se namorido visse a cena, obviamente ele iria dar uma bronca na atendente rs (obs: a família inteira do namorido é de lá)
O okonomiyake de Hiroshima infelizmente ainda nao comi na propria provincia, mas o de Wakayama fui comer quando morava em Hyogo.
O daifuku como de vez em quando e os sonhos que voces descreveram, aqui vende-se nas padarias ou com ankou ou com creme.
Quem sabe em breve a gente volta...

DrooDroo disse...

arrazo tiro fotos otimas, foi uma pena minha camera estava quebrada e tirei fotos somente com uma lomo que eu tenho e acabo saindo pocas fotos, fiquei super triste mas ano que vem estarei preparado....

beijo vou voltar sempre....

Carol disse...

Nooossa, eu não sei por que eu venho aqui de manhãzinha, no auge da minha fome, só pode ser masoquismo ahhaha.
E oi, meu nome é arrependimento pois acabei não conseguindo ir em nenhum dia!
O que são esses udons? Que delícia!
Adorei a panqueca, parece ótima! Sabe aonde posso encontrar assim, algum restaurante na Liberdade? ahhaha
Adoro sopa de feijão doce!! Não é todo mundo que encara...
Achei estranho o bacon com shimeji, ficou uma boa combinação?
beijos, sabado nos juntamos para gordasafadices hehe

Tabeteimasu disse...

Fala P!
Vcs perderam o festival mesmo...tava bão demais...
Se tiver pargo no próximo ano experimenta que vale a pena!

Olá Kiyomi,
Quando você voltar vale a pena ir no Festival. Vai ser uma boa oportunidade para matar a saudade do JP. O daikuku do Japão deve ser bem melhor pois os morangos daí tem mais sabor dos que encontramos aqui...

Olá Droo,
Na próxima esteja preparado pois agora vc já sabe quanta comida tem por lá...rs...as fotos com a Lomo devem ter ficado interessantes...

Olá Carol,
Essa coisa de ficar fuçando blogs de comida logo pela manhã é natural...rs...tb sou meio masoquista e fico com mais fome ainda depois de ficar vendo as fotos dos blogs...rs...
Nunca comi okonomiyake fora do Festival...rs...mas no Izakaya Issa tem e estou com vontade de ir lá experimentar (ainda não conheço lá)...
O espetinho de bacon com shimeji é bom sim....mas bem gorduroso...rs...

Abs,
Carlos

Postar um comentário